A cistite é um mal que acomete muitas mulheres e causa desconforto e dor, necessitando de tratamento urgente e adequado para matar as bactérias que inflamam a bexiga e as vias urinárias, causando ardência e a sensação de incontinência urinária intensa. Para quem sofre de cistite, a primeira coisa a fazer a perceber alguns desses sintomas é beber bastante líquido para limpar as vias urinárias e procurar o quanto antes o médico urologista. Só ele poderá prescrever o antibiótico correto, após o pedido de exame que confirma o tipo de bactéria causadora da cistite, ou infecção urinária como é popularmente conhecida.
A cistite é uma doença que afeta mais as mulheres do que os homens, e isso se deve ao fato de terem anatomias diferentes, o que propicia a contaminação da mulher por bactérias, especialmente as provenientes das fezes. Mas muitas vezes, a cistite surge devido ao ato sexual sem a proteção da camisinha, uma vez que a secreção pode levar novas bactérias à bexiga por intermédio das vias urinárias. Os sintomas mais comuns da cistite são dores no final da micção, ardência, urina com forte odor e, em casos mais graves, febre, dores na barriga, sensação de peso na bexiga, sangue e os na urina indicam que o tratamento deve ser iniciado com antibióticos antes que a doença atinja outros órgãos, como os rins, ocasionando a pielonefrite.
As cistites são geralmente causadas por bactérias que sobem nas vias urinárias, sendo assim, algumas situações podem ser favoráveis ao seu desenvolvimento, tais como: má higienização, má formação dos órgãos do aparelho urinário, gravidez, pois comprime a bexiga, diabetes, estresse e menopausa. Por isso, a melhor forma de prevenção da cistite é tomar muita água, evitar alimentos muito ácidos, manter a higienização das partes íntimas, sempre usar camisinha nas relações sexuais, manter-se longe do estresse, aumentar as defesas imunológicas, nunca reter por muito tempo a urina na bexiga, pois isso irrita as paredes das vias urinárias.