Entre tantas vitaminas e sais minerais existentes no nosso organismo e que sempre nos preocupamos em repor, está um forte aliado do nosso corpo, pele, unha e cabelos, mas que nem sempre nos lembramos dele. Trata-se do colágeno, uma substância produzida pelo nosso organismo, mas que com o passar dos anos, sua produção vai ficando cada vez mais insuficiente no organismo, o que causa flacidez, surgimento de rugas e marcas de expressão e outros temidos sinais da idade. Para prorrogar ao máximo o aparecimento de tantos incômodos para as mulheres, o ideal é que a partir dos 25 anos de idade, as mulheres e homens vaidosos comecem a fazer uso de cosméticos, cremes e alimentos que contenham o colágeno.
Esse amigo no corpo também é o responsável por inibir a produção dos radicais livres nas células corporais, causadores do envelhecimento precoce e que também ligados ao surgimento de muitas doenças por imunidade. A melhor parte – pelo menos para as mulheres – é que a substância trabalha contra a celulite, estria e dá muita firmeza na pele, melhorando visivelmente sua elasticidade. Além da forma como conhecemos o colágeno, em cremes e loções, atualmente já é possível encontrar esse item também como suplemento alimentar, em forma de pó que pode ser adicionado aos alimentos, sucos, iogurtes, vitaminas e outros alimentos líquidos.
O colágeno também auxilia na quebra das células de gordura, aumenta a massa muscular, auxilia na cicatrização epitelial e ainda melhora consideravelmente o metabolismo das proteínas. O ideal é que, antes de começar a consumir o colágeno em pó, a pessoa procure obter mais informações com seu médico ou nutricionista, afinal muitas da vitaminas de que necessitamos são supridas pela própria alimentação, sem que seja preciso consumir os produtos em cápsulas, chás e suplementos. Com tanta vantagem, certamente você deve estar ansiosa para incluir o colágeno na sua dieta alimentar. Mas é preciso agir com cuidado e cautela nesse quesito, afinal acompanhamento médicos e faz necessário quando ingerimos qualquer tipo de substância, pois em excesso, elas também podem acarretar problemas, como entupimento de glândulas sebáceas e sudoríparas.