A vaidade das mulheres em relação aos cabelos é enorme e nada mais desconfortável do que ir ao salão de beleza e seu cabeleireiro perceber que você está com caspas. Mas isso não é sinônimo de falta de higiene, mas sim de uma doença dermatológica do couro cabeludo muito comum nas pessoas, não importa sexo e idade. A caspa é uma forma mais leve de dermatite seborréica, caracterizada pela descamação do couro cabeludo, que pode vir acompanhada de forte coceira e vermelhidão na região. Esses sintomas pioram muito nos períodos de calor, uma vez que o couro cabeludo sua e então há a proliferação de fungos e bactérias causadoras da caspa.
Geralmente, a caspa tem uma progressão maior em pessoas com a raiz das madeixas mais oleosas, devido à produção excessiva de suor pelas glândulas sebáceas. Várias causas contribuem para o aparecimento ou piora da caspa: clima, fadiga, transpiração, umidade, alterações hormonais, doenças graves, hereditariedade e estresse. Se você percebeu que está sofrendo com desse problema, não fique preocupada ou envergonhada. O melhor a fazer é consultar seu médico dermatologista para que ele receite um medicamento adequado, geralmente xampus e loções capilares com agentes capazes de matar os fungos causadores da caspa, como o pityrosporumovale.
Os xampus são à base de cetocononazol, uma substância com ação antifúngica e antiinflamatória. O tratamento pode durar cerca de 1 mês, mas em muitos casos a melhora já começa a ser observado na segunda semana, entre a 3ª e 4ª aplicação do shampoo). Independente do tratamento utilizado, podem ocorrer novas manifestações da caspa e dermatite seborréica. Isto significa que deve haver um tratamento de manutenção, ou seja, a utilização de pelo menos uma vez por semana do xampu contendo cetoconazol.