Alguns dos sintomas ginecológicos que mais incomodam as mulheres são os corrimentos vaginais. É importante que todas saibam que secreções vaginais são muito comuns e que também são importantes para a boa lubrificação vaginal. Mas quando a secreção excessiva é sinal de que algo está errado? Bem, a secreção vaginal natural que toda mulher jovem possui é mais esbranquiçada e sem cheiro característico. Já o corrimento pode ser mais amarelado, com prurido (coceira) e com cheiro forte, indicando alguma doença de ordem ginecológica.
O interessante é que, assim que a mulher perceber essas alterações, que ela procure seu médico ginecologista de confiança e faça alguns exames indicados por ele. Para as mulheres que não são mais virgens, fazer o exame Papanicolau pelo menos uma vez ao ano é imprescindível para saber se ela está com algum tipo de doença no útero, feridas e até mesmo uma DST, doença sexualmente transmissível.
Na maioria dos casos, o corrimento vaginal acontece devido às mudanças do Ph na flora vaginal, devido à menstruação e fatores hormonais, associadas ao uso de calças justas demais e falta de higiene adequada, ocasionando a doença. Nesse caso, com uma boa higiene do local e o hábito de usar roupas mais largas podem ajudar a solucionar o problema.
O corrimento também pode ser originado de doenças sexuais, uma vez que a mulher sexualmente ativa já tem o Ph da vagina alterado e, se não utilizar preservativos, microorganismos podem alterar ainda mais a secreção e causar o chamado corrimento, indicando que há alguma doença que precisa ser tratado de forma adequada, com medicamentos e outros procedimentos.