Dieta inadequada e falta de exercícios físicos são, certamente, fatores impactantes em nossa saúde. Entre os males de saúde mais importante a serem citados em congressos médicos é a hipertensão arterial, provavelmente, classificada como o mal contemporâneo mais elevado e comum. Grande parte da população mundial atualmente é atormentada pela incidência de hipertensão arterial. Felizmente, para aqueles que sofrem com a doença e aqueles que tentam se prevenir contra a pressão alta, as proteínas do leite acabaram se tornando um santo remédio, bastante eficaz no tratamento e prevenção da hipertensão, segundo estudos de médicos especialistas no assunto e de acordo com as pesquisas mais recentes da medicina.
A hipertensão resulta, geralmente, na elevação dos níveis de colesterol no corpo, que, aos poucos, vão entupindo as veias responsáveis pelo transporte do sangue pelo corpo. Devido ao colesterol alto, as placas de gordura formam um revestimento na superfície interna da veia. Quanto maior o nível de colesterol ruim, mais placas de gordura vão se instalando nas paredes das veias, impedindo o fluxo do sangue. Em pouco tempo, o revestimento cresce e obstrui a passagem do sangue ou reduz o espaço livre para o acesso dele. Isto significa que o coração tem que bombear o líquido sanguíneo com muito mais força e rapidez, aumentando a pressão arterial.
Extensas pesquisas e testes foram realizados em proteínas do leite por pesquisadores em laboratórios internacionais durante alguns anos. Recentemente, os cientistas concluiram que o componente C12 do leite, na verdade, reduz os níveis de colesterol ruim no organismo. O C12 é uma seção da proteína de derivados de leite, mas além do leite, manter uma vida saudável com alimentação balanceada, livre de gorduras saturadas, excesso de bebidas alcoólicas, fumo e produtos industrializados garantem uma qualidade de vida bem mais elevada. A prática de exercícios físicos regularmente e atividades terapêuticas relaxantes, como yoga, alongamento e pilates diminuem o estresse, importante fator causador de pressão alta e conseqüentes problemas de infarto do miocárdio e derrames cerebrais que tanto acometem homens e mulheres.