O uso de flores no casamento é uma tradição milenar que vem se firmando cada vez mais nos dias atuais. As flores embelezam o ambiente e, segundo algumas crenças, trazem sorte, bons fluidos, muita paz, amor e espiritualidade para os noivos em sua nova fase de vida. As flores que você selecionar para seu dia do casamento estarão enraizadas na rica tradição cultural e histórica.
Da antiga Roma e Grécia antiga para o Oriente Médio, reunimos todas as tradições e crendices que envolvem a utilização das flores no cassamento, como símbolo de sorte e muita felicidade para o casal. Na Tailândia, as mães da noiva e do noivo caminham até o altar para colocar guirlandas de flires em torno dos ombros do casal, com a finalidade de desejar-lhes boa sorte na sua vida em comunhão. Já os noivos suecos e dinamarqueses costuram pequenos sachês de ervas com cheiro forte, como cebolinha, alho, alecrim e em suas roupas de boa sorte.
O irmão do noivo indiano polvilha pétalas de flores sobre o casal no final da cerimônia para os proteger os noivos de espíritos do mal, da inveja e mau olhado de outras pessoas. As noivas romanas costumavam preparar molhos de ervas para simbolizar a fidelidade e fertilidade, e também para afugentar os maus espíritos. Os vitorianos, que ficaram fascinados com os significados de flores diferentes, popularizaram o casamento com flores cor de rosa, que representa o verdadeiro amor. Também em tempos vitorianos, a noiva originalmente lançava seu buquê para uma amiga (para afastar os maus espíritos, é claro) e para oferecer-lhe sorte, o que veio a significar que a única mulher que pegou o buquê se casaria logo em seguida.
Em um casamento ortodoxo grego, coroas de flores de laranjeira eram tradicionalmente feitas para a noiva e o noivo. As flores simbolizam a virgindade e a pureza, porque elas são brancas e frágeis, além de exalarem um aroma doce e delicado. Na Inglaterra, as noivas colhiam nos jardins flores chamadas malmequeres e as mergulhavam em água de rosas e depois as comiam, uma vez que as flores levavam a fama de serem afrodisíacas.
Segundo a tradição italiana, toda a parte dianteira do carro que levará os noivos para a lua-de-mel é decorada com flores em sinal de votos de muita felicidade e sorte para os recém-casados. No Oriente Médio, a artemísia, uma erva amarga, é incorporada em buquês de noiva para assegurar que os casamentos vão sobreviver a amargura, bem como a doçura.