Quando: Marroquinos costumam celebrar casamentos aos domingos, no outono, ou em finais de safra, quando há abundância de alimentos para a festa.
Traje: Muita cor, incluindo casamentos amarelo, que segundo a crença deles, espanta o mau olhado e casamentos verdes, que trazem boa sorte. Além disso, os noivos usam tatuagens de henna temporárias nas mãos e pés.
Atividades: É melhor manter um bom espaço na agenda, pois casamentos marroquinos podem durar até sete dias. Os três primeiros dias são para preparar e festas. Na quarta, um sheik une o casal. No quinto e sexto, os partidos mais. No sétimo, a noiva se realiza na frente dos amigos e familiares e, em seguida é colocada nos braços de seu noivo, sinalizando o fim da cerimônia. A partida do casal é destacada por um banho de figos e passas.
A comida: Peixe e frango, antigos símbolos da fertilidade, muitas vezes são servidos. Os hóspedes também podem provar o tajine, um guisado de frango misturado com amêndoas, damasco, cebola e outras especiarias que são servidas com pão pita, e muitas dessas amêndoas doces cobertas, que são considerados afrodisíacos.
A música: dançarinas do ventre, muitas vezes apresentam a noiva e o noivo na recepção este ritual se chama Zeffa. Lá, os hóspedes são embalados por sons do Oriente Médio, os sons dos tambores, pandeiros, e um instrumento de cordas chamado de cítara.
Claro que o casamento é cansativo, mas as noivas marroquinas não podem reclamar, a preparação para o casório envolve  massagens e banhos de leite para se purificar para o grande dia, quer dizer, para a grande semana.